O teu terapeuta é Psicólogo?

O teu terapeuta é Psicólogo?

julho 3, 2018 0 Por admin-site-pa

Até soa um pouco estranho perguntar se teu terapeuta é Psicólogo, não achas? Não é estranho de forma nenhuma e eu te explico o porquê. A formação em Psicologia segue ditames estritos, legais, regulamentados, regidos por um Conselho de Classe e que visam qualidade e procedência dos serviços prestados. Além disso, a formação em Psicologia é para a vida e requer atualizações, pesquisas e práticas constantes. Também pelo fato de haver um Conselho Federal de Psicologia, que conta com suas autarquias regionais, sabemos qual é a Ética que rege e fiscaliza a prática desses profissionais. A ciência psicológica brasileira é reconhecida, respeitada no mundo inteiro e Psicólogas e Psicólogos podem trabalhar com linhas teóricas de sua preferência e que orientam o seu trabalho, essas podem ser: a Psicanálise, a Cognitivo-Comportamental, o Humanismo, Gestalt, Behaviorismo, Sistêmica e outras. Todas essas são baseadas em pesquisas e evidências, contam com o prestígio de anos de prática clínica segura e têm teóricos mundiais renomados, do passado e do presente, como expoente. Médicos Psiquiatras também podem ser habilitados para realizar Psicoterapia se assim desejarem. Sua atuação é diferente da atuação do Psicólogo mas, em determinados casos, os dois profissionais podem trabalhar juntos, otimizando o ganho terapêutico dos pacientes/clientes. Não se deixe levar por modismos e desconfie de convenções sociais: o novo não é necessariamente bom. Desconfie de “terapias” da moda que prometem mundos e fundos; todo trabalho, psicológico ou não, requer força de vontade, empenho e confiança em um profissional competente e habilitado. Para sua própria segurança, fique ligado! Não é para qualquer um tratar ou “trabalhar” fobias, traumas, questões psicológicas, emocionais, adaptativas e afins; manejo e experiência são fundamentais.

A contemporaneidade trouxe novas demandas para a vida cotidiana. Temos inúmeras ferramentas à nossa disposição para realizar inúmeros objetivos, de modo que não é exagero nenhum dizer que podemos encontrar mais de uma forma de realizar uma mesma tarefa. Apesar desta constatação, inegavelmente versátil e útil, precisamos manter nosso senso crítico aguçado e mais ainda, o crivo dos nossos princípios. Modismos ditam novas tendências que quase sempre não passam exatamente disso: modismos passageiros. Até ai tudo bem, o mundo é cíclico e não há nada de errado em seguir a moda. A complicação aparece com modismos que podem trazer danos terríveis a longo prazo, colocando em risco a sua saúde física e mental.

O Psicólogo é um profissional formado por um curso acadêmico de nível superior, normalmente é bacharel (podendo também ser licenciado), seu curso de formação é reconhecido e regulamentado pelo MEC, com aproximadamente 4.085 horas-aulas, com no mínimo 5 anos de duração, 10 semestres e que a cada ciclo de três anos as faculdades que oferecem o curso de Psicologia têm seus alunos-formandos avaliados pela prova do ENADE. Os cursos de Psicologia das Universidades sofrem reformas curriculares periódicas visando atualizações e otimizações. Além disso, a profissão de Psicólogo exige registo para quem for exercer na área clínica e testagens psicológicas, havendo um conselho de classe próprio: o Conselho Federal de Psicologia – CFP que possui suas autarquias regionais (os Conselhos Regionais de Psicologia – CRP).

Durante o curso de Psicologia, os futuros Psicólogos realizam trabalhos em grupo e individuais, leem textos técnicos, aprendem a aplicar testes psicológicos, participam de seminários especializados, são supervisionados e, talvez o mais importante de tudo, realizam estágios curriculares em áreas de interesse. Mais adiante, se decidir seguir carreira acadêmica, o Psicólogo pode optar especializar-se em uma área de interesse, podendo tornar-se: Especialista, Mestre, Doutor e Pós-Doutor.

E no que se resume tudo isso? Em anos de muito estudo! A Psicologia não é um cursinho em um cantinho. Ela está inserida a área do esporte, no acompanhamento terapêutico, na área hospitalar, na orientação profissional, no âmbito jurídico e forense, no departamento de recursos humanos, na área clínica, no trânsito, a área social, na área comunitária, na escola, na área organizacional e em vários outros locais. A Psicologia faz a diferença.

E agora sabendo de tudo isso, tu ainda vais ficar à mercê de terapias da moda e a pessoas sem qualificação?

Adriano Boettcher Brandes